Núcleo de Assistência: assistência social e jurídica

A Casa de Marias oferece um serviço gratuito de assistência social e jurídica, conduzido por profissionais muitíssimo capacitadas.

Para mais informações e agendamento, entrar em contato através do Whatsapp (11) 95851-3330.

Público alvo: Mulheres que busquem assistência social e jurídica

Advogadas

OAB 305974

Sou Caroline Lima, tenho 34 anos, sou mãe do Bento Caetano, de dois anos. Hoje vejo a defesa dos direitos das mulheres como missão de vida.  

Advogada devidamente inscrita na OAB/SP desde janeiro de 2011 (305.974), formada em 2010 pela Universidade São Francisco. Cursei especialização em Direito e Processo do Trabalho, concluída em 2014, no IBMEC, em parceria com o Complexo Jurídico Damásio de Jesus. Em 2016 cursei os módulos “Direitos e Garantias Fundamentais”e “Organização do Estado” na Pós Graduação em Direito Constitucional do Complexo Jurídico Damásio de Jesus. Em 2017/2018 Concluí o Curso “Aspectos da cultura e da história do negro no Brasil”, na FFLCT – USP. Em 2020 participei do Web Seminário Pandemia e as Alterações no Direito Material e Processual do Trabalho, aplicado pela – EJUD – Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da Segunda Região. Em 2021 concluí os cursos de Prática Forense em Direito de Família, no CERS – Centro de Estudos Renato Saraiva e o Curso de Atualização em Direito do Trabalho, pela FGV – Fundação Getúlio Vargas. Atualmente curso Especialização em Direito das Mulheres. 

Trabalhei em dois grandes escritórios de São Paulo e fui professora tutora do Curso Preparatório para Segunda Fase do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil em Direito Constitucional, do Complexo Jurídico Damásio de Jesus, de 2015 a 2018. Desde janeiro de 2014 atuo com meu próprio escritório, na cidade de São Paulo, nos bairros do Jaçanã e da Barra Funda, atendendo clientes de todo o Estado. 

        Advogada

OAB 349628

Evelin de Oliveira Calixto entrou na faculdade com 18 anos em 2008, e sempre se interessou por direitos humanos. Esse interesse virou uma paixão quando, em seu estágio na Defensoria Pública, ela pode vislumbrar como o racismo afetava o sistema de justiça. 

Em 2012 se formou em direito pela tradicional Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, e atua como advogada desde 2013.

Estudou por três anos para se tornar Defensora Pública e após esse período, em 2017, começou a trabalhar em um escritório de grande porte em São Paulo para atuar na área trabalhista. 

No início de 2020 decidiu atender ao chamado interno para atuar efetivamente com direitos humanos e pediu demissão. F

Foi selecionada para trabalhar no projeto “atuação em comunidades” no Instituto Pro Bono, em que prestava auxílio jurídico para a população carente. 

Insta salientar que, nesse projeto, também realizou uma palestra para sobre “Racismo” para funcionários do SASF Parque São Lucas. 

Após a suspensão do projeto pela pandemia, foi convidada a participar do projeto “ProMigra”, em que atua como advogada para a população migrante e refugiada em São Paulo. 

Ao mesmo tempo, realizou o curso de “Advocacia Racial” pela EDUCAFRO e, iniciou pós graduação em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global pela PUC/RS, que será concluída em dezembro de 2021. 

E este ano, foi selecionada para o curso “Como Fazer Advocacy”, no AdvocacyHub, pois pretende atuar com advocacy racial e de gênero.

        Advogada

OAB 402397

Me chamo Lydia, tenho 38 anos.

Sou advogada e minha trajetória se inicia com meu estágio na Fundação Casa, no setor SAJA (Setor de Atendimento Jurídico ao Adolescente). Durante o ano estagiando, orientei adolescentes apreendidos nas Unidades provisórias referente ao sistema processual e medidas sócio-educativas previstas no ECA; bem como, após a sentença,a atualização do menor sobre as fases processuais até a sua liberação.

Ainda na área de orientação, estagiei no Núcleo de Prática Jurídica, atuando como parceiros
da Defensoria pública no atendimento da população em situação de vulnerabilidade.
Realizo ações esporádicas voluntárias, sendo a última no presídio de Guarulhos para agressores sexuais pelo Instituto Pró Bono, falando sobre o tema de Saúde e Drogadição.

Faço parte do quadro de colaboradores do Espaço Cultural Monte Kemel desde 2013
ativa nas ações e demandas do território.

Hoje, faço parte do Coletivo Quintal Aberto (Espaço Cultural Monte Kemel) e iniciei a Marcha das Mulheres Negras de SP. Pertenço também a grupos de estudo sobre temas pertinentes à Raça Negra e ao Feminismo, como Feministas em Marcha, Denegrir, Pretitudes (cursos).

Busco sempre a reformulação pessoal através dos estudos referentes a Raça, Gênero e Classe, buscando acolher e aprender com todos, todas e todes através das experiências trocadas na vivência de cada um.

        Advogada

OAB 327203

Advogada, formada pela PUC/SP. 

Presta assessoria jurídica especializada com olhar sensível e atento para todas as questões que envolvem raça, gênero e classe, por meio do atendimento acolhedor e humanizado. 

Acredita no pleno exercício dos direitos, no enfrentamento de injustiças e violações como formas de defesa do Estado Democrático de Direito.

        Advogada

Assitentes sociais

CRESS SP/ 67817

Residente em São Paulo, assistente social, formada em 2020 pela Universidade Brasil. É feminista e atuou como estagiária no Centro de Referência de Promoção e Igualdade Racial/ZL entre 2016 e 2020;

Assistente Social

CRESS SP/ 66367

Formada pela Universidade Nove de Julho em 2019. Atualmente, estou me especializando em Saúde Pública e Saúde da Família.

Profissional atuante nas frentes como, na defesa dos direitos da mulher, negros e negras, classe trabalhadora, idosos, crianças e adolescentes, LGBTQIA+, indígenas entre outros grupos.

Analiso as condições de vida e oriento as pessoas ou grupos sobre como ter informações, acessar direitos e serviços para atender às suas necessidades sociais.

        Assistente Social

CRESS SP 60280

Formada em Serviço Social com ênfase em “Politicas de direitos e rede” e “Saúde da família”. Como profissional de Serviço Social que estuda a realidade social brasileira, trabalho diretamente com a população, atuo em situações de violação de direitos humanos como trabalho análogo à escravidão, situação de refúgio, situação de rua e migração.

        Assistente Social